Posts

O futuro e as Apostas Esportivas no Brasil

 As apostas esportivas são legalizadas na maior parte dos países. Já não está na hora do país rever o seus conceitos e tentar de trazer esse mundo das apostas internamemente e ganhar essa receita que é levada para fora?

Imagen relacionada

A maiores empresas de jogos estão apostando fortemente nas apostas esportivas. A intensidade está no Futebol. Na Europa e nas Américas (tirando os Estados Unidos), as apostas encontram-se regulada.

No Brasil, os jogos de azar estão proibidos por lei. Os casinos, está proibido desde 1940, e recentemente vendo sido estudada a possibilidade de liberar os jogos dentro do país. As apostas esportivas passam por um processo diferente, é proibido dentro do país, porém internacionalmente, os brasileiros podem usar os cartãos de crédito ou pago pelo boleto bancário e podem apostar. Tudo isso porque as casas de apostas estão em uma nuvem online, as plataformas estão fora do país porém altamente equipadas para operar com os brasileiros.

Resultado de imagen de future png

Qual é o futuro para o Brasil?

Acreditam que próximamente será regulada as apostas, casino e poker no Brasil, pelo que simplesmente o mercado brasileiro está perdendo dinheiro que poderia ser trabalhado dentro do país. Em Portugal o jogo online foi a pouco tempo legalizado e a receita segundo o Jornal Online Eco mostrou que  em 6 meses foi ultrapassado o que era previsto para todo o ano, uns 18%.

Já viu o nosso novo video promocional? Confira nossas dicas de como ganhar dinheiro online.

A Afiliapub está em todas as redes sociais, siga a gente!

YOUTUBE 

FACEBOOK 

TWITTER

GOOGLE +

O que você precisa saber do novo Regulamento de Proteção de Dados.

Na próxima sexta-feira (25 de maio de 2018) entrará em vigor o novo regulamento geral de proteção de dados que substitui a atual. As empresas já começaram a mudar, porém algumas ainda não possuem o conhecimento de como mudar e o que fazer para estar de acordo.
Foi aprovado pela Administração pública por ministros uma proposta que pode causar um pouco de “bagunça”.
A lei proposta determina que as “propinas” não se apliquem à Administração durante 3 anos.

 

O QUE FAZER PARA PROTEGER OS DADOS:

É necessário que todos os dados estejam seguros no sistema. A empresa precisa demonstrar que se preocupa com a proteção dos dados fornecendo todos os dados dos fornecedores de serviços e softwares e que os mesmos estão cientes do RGPD e ePrivacy, e que estão a cumprir com todos os regulamentos. Auditorias devem ser realizadas, seguranças em lugares físicos e digitais e os dados devem estar alojados na Europa.